sexta-feira, 9 de abril de 2010

Reminiscências

Memórias podem ser perigosas. Podem trazer reminiscências de tempos de extrema felicidade da qual já não fazemos mais parte. E, ao cair perturbador da realidade, abre-se um vazio ilícito, daqueles em que a explicação é mais obscura e misteriosa do que a energia escura que banha o universo...e, não a enxergamos e muito menos a compreendemos. Mas, sofremos. Mesmo sem saber porque. Como entoou "aquele cantor", cujo nome não me recordo, "...o que passou, passou. Não importa. Ficou do outro lado da porta...pra nunca mais....". A saída é olhar para frente. Sempre. E, deixar as agruras do passado que nos excitavam e nos entusiasmavam para os álbuns de fotografia guardados em armários raramente abertos. Porque as fotos já não me fazem mais rir. Só me lembram que o tempo está passando e envelheço a cada palavra escrita.
O passado é, muitas vezes, lindo nas fotos, somente.

2 comentários:

Erasmo disse...

Ah mas é tão bom relembrar o passado que foi tão bom, mas o que mais "dói" é saber quer o quando não sabíamos que era tão bom viver aquele "passado". Dói essa sensação de querer viver de novo o que já foi vivido e de repente fazer tudo tão diferente e melhor. Acho que além da morte, esta é a coisa mais inexplicável da vida, o não poder voltar atrás...

Anônimo disse...

Já tentei não ter sentimento para que o passado não me atormentasse, mas confesso que é algo difícil. Gostaria de ter um passado que me significasse nada, assim não o lembraria com saudades ou até arrependimentos. Mas me conforta saber que não sou o único a pensar desta maneira. Não há um ser humano sequer neste velho planeta que nunca se arrependeu de ter feito ou não ter feito algo em sua vida.

Ass: Rudy Nunes